Crochet no tratamento da esquizofrenia: História de Aurore

por Kathryn em Agosto 9, 2012 · 1 comentário

em Crochet Saúde

Post image for Crochet In Treating Schizophrenia: Aurore’s Story

Crochet Saved My Life é preenchido com cerca de duas dezenas de histórias de mulheres reais que compartilharam como crochê ajudou no tratamento ou cura de uma série de diferentes condições de saúde física e mental. Eu tenho mencionado estas mulheres vários tempos. Para pós desta manhã na minha 10-série dia de informações de saúde de crochê, Eu pensei que eu iria partilhar uma daquelas histórias com você. Aqui está a história de Aurore.

Aurore é uma mulher francesa com diagnóstico de psicose alucinatória crônica, uma condição que é comparável à esquizofrenia e é caracterizada pela dificuldade em manter uma noção do que é real eo que não é. Esta mulher forte usa crochê como uma ferramenta para ajudá-la a manter uma conexão com a realidade como ela lida com essa condição.

Aurore teve uma experiência muito dura com a doença mental. Doença de Aurore começou a realmente se revelar a ela em 2002 no final de um declínio de dois anos de saúde mental, que terminou em seu primeiro "burnout." Como muitas pessoas com doença mental, ela realmente não sabia o que estava acontecendo com ela no momento. Para complicar, ela começou a ver um psiquiatra, mas o psiquiatra não lhe deu um diagnóstico específico. Aurore me explicou que uma crença comum entre muitos psiquiatras franceses, e que ela psiquiatra assina, é que que é melhor para os pacientes não saber o rótulo de seu diagnóstico para que eles começam a estar de acordo com esse rótulo. Aurore foi dito apenas que ela é considerada psicótica.

Em 2008, Aurore tinha o que ela descreve como um desgaste sério, e as ramificações de que o burnout continuam até hoje. Em 2010, Aurore acidentalmente viu seu diagnóstico específico em alguns documentos legais que o médico tinha que preencher quando ela se candidatou a ganhar estatuto de trabalhador deficiente (permitindo que ela tem um emprego legalmente protegidas e de uma pensão, apesar de sua doença mental). Foi em 2010 depois que ela soube que ela foi diagnosticada com "alucinatória crônica, psicose, ansiedade generalizada e depressão aguda. "Ela tem essencialmente uma forma de esquizofrenia com ansiedade e depressão relacionada. Crochet tem desempenhado um papel fundamental para ajudar-lhe a sentir-se estável e saudável, apesar da dissociação, perda de tempo e alucinações associadas à sua condição. Aurore explica:

"Crochet me ajudou a lidar com isso porque é algo que é tangível. Eu não tinha certeza de nada, mas o que eu fiz com os meus ganchos. Por causa de minhas alucinações, Eu também estou apavorado eu eventualmente não poderia diferenciar entre o que é real eo que não é, assim crochê me ajuda porque Eu sei que é real. É como uma âncora para a realidade, e tudo isso é o mais importante para mim porque é algo real Eu fiz."

Aurore explained that touching the yarn and feeling the actual physical process of stitching helps to ground her. It also helps her to deal with the anxiety related to her condition; , diz ela, “when I’m anxious, the concrete feeling of the yarn against my fingers is something to focus on.” In addition to being something tangible, crochet has helped Aurore maintain a sense of continuity over time in spite of her condition. Ela explica:

“Another thing I’m getting better at is placing an event in time. But from 1995 (last date I remember because I passed my Baccalauréat exam that marks the end of high school in this year and I remember seeing the date on my exam papers) until about 2008, I could tell if an event happened in the past, but I couldn’t date it and couldn’t tell if another event was before or after it. It’s as if the past was a big haze. So seeing the stitches actually forming under my fingers helped me restore my sense of continuity.

Crochet also helps Aurore in another way, although she’s not one hundred percent certain that it’s a benefit – more like a useful adaptation for her given her condition. Ela explica:

“I often have magic thoughts of all kinds. One I often have is: if I finish such crochet project by such date, I will be protected from XXXX. I know it’s not particularly good for me to reinforce this kind of behavior, but I don’t have yet the state of mind where I could cope without thinking like this.”

It can certainly be argued that using crochet to reinforce magical thinking isn’t a good thing. Então, novamente, it could be argued that crochet itself is a harmless, and even healing, craft and that if Aurore is going to experience magical thinking then this could be a relatively safe way of coping with it. Aurore explains that her magical thinking and daydreaming do frighten her, because she’s afraid that she’s going to lose touch with reality altogether, but that “crochet creates a safe place where I can imagine something and make it real without anxiety or harm attached to it”.

Hearing about how beneficial crochet is to Aurore’s health and wellbeing, I was really curious about how she came to crochet in the first place. Eu me perguntei se isso era algo que ela tinha feito sempre. Como muitos de nós, ela não fez muito crochê até que ela realmente chegou a um ponto de crise em sua vida e, em seguida, ela chegou a contar com ele fortemente. Aqui está a sua história em suas próprias palavras:

"Foi depois da minha segunda esgotamento, em 2008. Eu estava trabalhando como assistente de vendas em uma loja, que inicialmente me ajudou a lidar com o que está sendo confrontado com outras pessoas, mas, o passar do tempo, Senti-me mais e mais ansioso quando havia multidões. Eu lidei porque os meus colegas de trabalho eram como uma família para mim, mulheres muito fortes que me ajudaram muito. Mas a direção mudou e todos eles foram demitidos ou que renunciou.

A nova equipe foi mais neutro no primeiro, mas, em seguida, tornou-se cada vez mais hostil, quando confrontado com as minhas dificuldades, dizendo coisas como "Aurore só chora quando há muito trabalho" e me menosprezar porque eu sou lento e precisa verificar várias vezes o que estou fazendo para ter certeza que eu estou realmente fazendo isso e não imaginando. Eu estava tentando fazer o meu melhor e foi rebaixado para ele. Foi quando eu realmente comecei a confiar em crochê, inicialmente porque era algo que eu sou bom em, e eu tenho elogios para ele quando eu mostrei o que eu fiz no meu blog, por isso ajudou a restaurar um pouco a minha confiança.

Durante os primeiros seis meses de 2008 (Eu não funcionou a partir de janeiro de 2008 até setembro de 2009, se me lembro bem), Eu estava tão obcecado com o trabalho que eu quase sempre alucinado a música que foi tocada na loja durante as férias (very specific music I couldn’t have heard anywhere else, so I’m sure it was job-related; I heard and heard it again during my anxious moments, along with phantom phones ringing and angry voices berating me). I couldn’t concentrate on anything but obsessively crocheting.

When I’m anxious, Eu me sinto como um casco oco. Crocheting helps fill up the void.

Then I got back to work in September of 2009. Things went well during the holiday season because they needed all the people they could hire. But in the beginning of 2010 they downsized the shop. I couldn’t be fired because I had a very protective, unlimited contract, so they used my health as a pretext, requesting an appointment with the doctor who was legally in charge with the health of the employees of the company and sending him a letter with a big list of my behavioral problems, some true (like pacing obsessively the floor), others untrue (it said in particular that I looked funny at pregnant women, which is not true and really shocked me). The doctor then pronounced me unfit for working with the public. As a result my depression got worse and I had to go in a nursing home to recover. While there, I didn’t finish anything but I obsessively kept on crocheting and unraveling. Você vê, I was too confused to have a goal and have a definite crochet project but the process of forming the stitches and working with yarn soothed me so I kept crocheting und unraveling my work.”

Since that time, Aurore has been crocheting consistently, because she knows that it is such a healing craft for her. Aurore has a French blog where she writes about all types of different things. I mention this because although she doesn’t write specifically about the health benefits of crafting in her blog, she notes that the style and subject of the posts suggests a lot about her experience with the ups and downs of her mental illness. Aurore explica: “Most of my entries are either posts I made during moments of crisis or more serene posts about crafts and most importantly, gancho. Eu não vincular a cura e artesanato, por si só, mas a justaposição dos dois tipos de mensagens sugere que suficiente, na minha opinião. "Você pode conferir o blog de Aurore em http://cynalune.blogspot.com /.

Se você não tiver obtido a sua cópia do Crochet salvar minha vida, obtê-lo aqui ou baixar no Kindle.

Crédito da foto: Julie Michelle Fotografia

pinit fg en rect gray 28 Crochet In Treating Schizophrenia: Aurores Story
Gosto deste post, por favor, aperte o botão de ação! Realmente amo o que estou fazendo com Crochet Concupiscence? Considere fazer uma doação ou tornar-se um patrocinador do blog.
Sacredcrocheter
Sacredcrocheter like.author.displayName 1 Como

All I can say is this story is a portrait in courage.

Post anterior:

Próximo post: